quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Informe MS - Enfrentamento ao Aedes aegypti






DAB divulga ações da AB no enfrentamento ao Aedes aegypti

10/02/2016

O Departamento de Atenção Básica (DAB) acaba de reunir, em página do Portal do DAB, conteúdos de grande importância para os trabalhadores e gestores de AB no enfrentamento ao Aedes aegypti.
O espaço traz informações que reforçam as ações da Equipe de Atenção Básica e dos ACS no combate ao mosquito, como a Portaria GM/MS 2.121 de 18/12/2015, entre outros materiais, tais quais os Protocolos de Assistência em Saúde e Vigilância em Saúde.
O objetivo é, em conjunto com várias áreas do Ministério da Saúde, concentrar esforços no fortalecimento de estados e municípios para o enfrentamento ao transmissor da dengue, da Chikungunya e do Zika, e ao aumento de casos de recém-nascidos com microcefalia.
Para tal, o DAB elencou algumas das ações prioritárias da Atenção Básica para o momento. A seguir, algumas delas:
Combate ao Aedes
Publicação de portaria 2121/2015 que reforça as ações das EAB e ACS;
Publicação de Nota técnica que orienta as ações de enfrentamento ao mosquito;
Divulgação dos materiais de apoio para os gestores e trabalhadores da AB;
Elaboração do curso: “atualização no combate vetorial ao Aedes aegypti”, em processo.

Diretrizes e apoio ao cuidado:
Elaboração dos protocolos de atenção e vigilância, com outras áreas do MS;
Atuação dos núcleos de Telessaúde na orientação aos profissionais da AB, sendo a plataforma online voltada para todos os profissionais das UBS e o serviço 0800.644.6543 para médicos do Brasil.
Mais ações previstas:
PMAQ: reforço nos indicadores, avaliação externa e na fase de desenvolvimento.
e-SUS AB: a partir do uso da informação em saúde, desenvolver o cuidado voltado para a real necessidade do território, promover integração das ações e produzir análise epidemiológica;
PSE: semana saúde na escola, informativos e contratualização de atividades.
Acesse à síntese do conteúdo da nova página do Portal do DAB sobre o tema no documento“Atenção Básica no Combate ao Aedes aegypti”.


Informe MS - Aedes aegypti




Aedes aegypti: MS amplia suporte aos ACS e ACEs com atualização online e 0800
04/02/2016

O Ministério da Saúde (MS) acaba de lançar o Curso de Atualização no Combate Vetorial ao Aedes aegypti, como uma das ferramentas para enfrentar o aumento do número de casos registrados das doenças dengue, chikungunya e zika.
O curso adquire especial relevância já que o Ministério da Saúde declarou Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN) devido às sérias complicações que estas epidemias causam à população, entre elas a microcefalia em recém-nascidos.
A capacitação foi produzida em parceria com o TelessaudeRS e o público alvo principal são os agentes comunitários de saúde (ACS) e agentes de combate a endemias (ACE), mas pode ser realizado pelos demais profissionais que atuarão no combate a este vetor, como os membros das Forças Armadas e líderes comunitários, que poderão atualizar os conhecimentos sobre as doenças e sobre como eliminar o mosquito.
Com carga horária de 16 horas, o curso visa complementar as ofertas do ministério para qualificar os trabalhadores que estão lutando contra os focos do mosquito, em especial os agentes comunitários de saúde (ACS), cujo papel no combate às epidemias foi reforçado com a portaria GM/MS nº 2.121, publicada pelo Ministério da Saúde em 18 de dezembro de 2015.
Para acessar o conteúdo do curso é preciso fazer um cadastro na plataforma virtual do AVA-SUS (https://ufrn.unasus.gov.br/moodle26/) ou do Telessaúde da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (https://pt.surveymonkey.com/r/curso_aedes) e começar as aulas virtuais.
Os alunos que acabarem a formação vão receber um certificado ao final.

Suporte pelo 0800 oferecido pelo TelessaúdeRS
O atendimento telefônico gratuito vai possibilitar que os profissionais que atuarão no combate ao Aedes Aegypti possam esclarecer dúvidas relativas ao mosquito, às doenças que transmite e ao cuidado com a microcefalia. O 0800 645 3308 oferecerá suporte técnico-assistencial prestado pelo TelessaúdeRS, de segunda a sexta, das 8h00 às 17h30 (horário de Brasília).
O TelessaúdeRS já prestava suporte técnico via telefone a médicos e enfermeiros da Atenção Básica (AB) e, durante esse momento de emergência em saúde pública, vão atender os agentes comunitários de saúde, de endemias e demais profissionais que trabalham no combate ao vetor. O objetivo de oferecer essa ferramenta é que esses trabalhadores posam esclarecer dúvidas clínicas sobre diagnóstico, procedimentos e tratamento de doenças comuns na AB, buscando a melhoria da qualidade do atendimento, aumento da capacidade clínica e a ampliação de ações ofertadas pelas equipes.
Além disso, será possível esclarecer dúvidas sobre como realizar as ações de identificação de focos e combate ao mosquito, orientações sobre utilização de serviços de saúde para o atendimento aos casos suspeitos e demais orientações para população sobre diagnóstico e tratamento da dengue, chikungunya, zika vírus e microcefalia.
Sobre o TelessaúdeRS
A central TelessaúdeRS integra o Programa Telessaúde Brasil Redes do Ministério da Saúde (http://www.telessaudebrasil.org.br/). Essa iniciativa visa à expansão dos canais e meios de comunicação entre profissionais e gestores, para oferecer acesso rápido e de qualidade sobre a assistência à saúde, e, ainda, qualificar a práticas de atendimento na Atenção Básica, ampliando a autonomia das equipes na tomada de decisão clínica e gerencial.
Acesse mais informações também pela plataforma: http://www.telessaudebrasil.org.br/

Notícias - EAD - Atenção a Pessoas em Situação de Rua

EAD/ENSP: curso sobre Atenção Integral à Saúde de Pessoas em Situação de Rua oferece 500 vagas

A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, da Fundação Oswaldo Cruz, por meio da Coordenação de Educação a Distância (EAD/ENSP-Fiocruz) e do Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP-Fiocruz), em parceria com os Departamentos de Gestão da Educação na Saúde (Deges/SGTES/MS) e de Atenção Básica (DAB/SAS/MS), do Ministério da Saúde, tornam públicas, valendo-se deste edital, as normas do processo de seleção para o preenchimento de 500 vagas de alunos para o Curso de Atenção Integral à Saúde de Pessoas em Situação de Rua (com ênfase nas equipes do Consultório na Rua - eCR), de Qualificação Profissional, na modalidade a distância com encontros presenciais.

O curso, coordenado por Lucília de Almeida Elias Lopes, objetiva qualificar equipes multiprofissionais, em especial aqueles que atuam nas equipes dos Consultórios na Rua (eCR), para a atenção integral às pessoas em situação de rua, em consonância com as diretrizes técnicas e políticas relacionadas a essa estratégia; contribuir para atuação em rede e de forma articulada entre o Sistema Único de Saúde (SUS) e Sistema Único de Assistência Social (Suas), de modo a propiciar a ampliação e qualificação do acesso de pessoas em situação de rua à atenção e aos cuidados necessários; e formar ?profissionais-multiplicadores? de boas práticas na atenção integral às pessoas em situação de rua.

É voltado a profissionais portadores de diploma de nível médio ou de nível superior nas áreas da Saúde e Assistência Social que não tenham sido contemplados com vagas na primeira oferta do curso (2014), que está estruturado em três Unidades de Aprendizagem e terá carga horária total de 196 horas, sendo previstas 140 horas a distância e 56 de forma presencial. A duração prevista é de sete meses.

Estão sendo ofertadas 500 (quinhentas) vagas com o objetivo de contemplar todas as equipes de Consultório na Rua e de Consultório de Rua, implantadas (cadastradas no CNES) até dezembro de 2015 em todo o território nacional.

As inscrições vão até o dia 18 de março de 2016 e devem ser feitas pelo endereçohttp://inscricao.ead.fiocruz.br/357. O edital completo está disponível emhttp://www.ead.fiocruz.br/_downloads/edital1940v13.pdf.

Foto: radios.ebc.com.br

Notícias - EAD Apoio Matricial

Notícias

EAD/ENSP: curso de apoio matricial na Atenção Básica oferece 2 mil vagas

A Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz), por intermédio da Coordenação de Educação a Distância (EAD/ENSP) e do Centro de Saúde Germano Sinval Faria (CSEGSF/ENSP), em parceria com os Departamentos de Gestão da Educação na Saúde (Deges/SGTES/MS) e de Atenção Básica (DAB/SAS/MS) do Ministério da Saúde, torna público o processo de seleção para preenchimento de 2 mil vagas de alunos em todo o país para o Curso de Apoio Matricial na Atenção Básica com ênfase nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (Nasf), de Qualificação Profissional em nível de Aperfeiçoamento, na modalidade a distância com encontros presenciais. As inscrições vão até o dia 29 de fevereiro.

Coordenado por Eliane Chaves Vianna, o curso busca contribuir para a difusão e aprimoramento das práticas de apoio matricial na Atenção Básica; mobilizar atores para o processo de qualificação da atenção básica (?curso ? movimento?); e fomentar intervenções contextualizadas nos territórios e a continuidade da reflexão e do debate sobre as diretrizes e processo de trabalho do Nasf em âmbito local, após o término do curso.

É destinado a profissionais com diploma de nível superior na área da saúde ou especialização nas áreas da saúde, atendendo, ainda, os seguintes requisitos mínimos, em ordem de prioridade: possuir atuação profissional direta nos Núcleos de Apoio à Saúde da Família ? Nasf (público principal); possuir atuação profissional nas equipes da Atenção Básica (equipes de Saúde da Família, Ribeirinhas e Fluviais, Academia da Saúde, Atenção Básica sem Estratégia de Saúde da Família) ou atuação na Gestão da Atenção Básica (gerência de Unidade Básica de Saúde- UBS, coordenador de Atenção Básica, apoiador/supervisor institucional).


Confira aqui o edital completo
 e acesse também a retificação do edital.

As inscrições devem ser feitas aqui.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Portaria Nº 139 - Suspende Recursos

Suspende a transferência de incentivos financeiros dos Municípios com irregularidades no cadastro de profissionais no Sistema de Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (SCNES).

Para acessar a portaria na íntegra clique no link abaixo ou o DOU de 02/02/16, página 41.

https://drive.google.com/file/d/0B9Z1PVDATnmnYkhkYnduMXFGSjZRbjdmSF9HZmZwTUhvaU1j/view?usp=sharing 

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Informe MS - "Faxina Nacional"





UBS não é lugar de Aedes!

03/02/2016

No dia 4 de fevereiro, todos os profissionais da Atenção Básica estarão juntos em “Faxina Nacional” contra o Aedes aegypti. A ação, de iniciativa do Governo Federal, realizada em parceria com os governos estaduais e municipais, representará grande mobilização feita nas Unidades Básicas de Saúde de todo o país para eliminação de criadouros do mosquito.
Além da dengue, o Aedes transmite, também, a Chikungunya e o vírus Zika, que pode causar microcefalia em bebês. A doença representa uma grave emergência de saúde pública que pode afetar uma geração de crianças e o futuro do país, motivo pelo qual o Departamento de Atenção Básica reitera seus esforços na missão de combate ao mosquito.
Por isso, orienta que, no dia 4 de fevereiro, todos os trabalhadores das Unidades Básicas de Saúde realizem inspeção e busca nos locais onde atuam. Sugere-se que o “Dia da Faxina” das UBS comece com uma breve reunião do dirigente do estabelecimento com os responsáveis pelos diferentes setores para informar a grave situação da presença do Aedes aegypti e suas consequências, além de explicar e orientar a ação a ser realizada nesse dia.
MEDIDAS PRINCIPAIS
Cada local precisa ser inspecionado em busca de focos do mosquito Aedes aegypti e seus criadouros.
· Verificar caixas, reservatórios e depósitos de água e assegurar que estejam ou que sejam limpos e lacrados;
· Observar lajes, calhas, lonas de cobertura, depósitos de materiais e banheiros desativados para desobstrução, limpeza e eliminação do acúmulo de água;
· Observar e ter cuidados especiais com sacos de lixo, copinhos de plástico e outros materiais “traiçoeiros” que possam acumular água e servir de criadouro para o mosquito;
· Observar e registrar, em todas as inspeções, possíveis focos de larvas e mosquitos e, imediatamente, eliminá-los. Se precisar de ajuda para isso, acionar a Vigilância local;
· Ao final do dia, deve ser realizado um balanço e registro sintético da “faxina”, anotando cuidadosamente as medidas de monitoramento e de sustentabilidade para que cada ambiente continue limpo, seguro e livre do Aedes aegypti.
Para conversar sobre o assunto entre os trabalhadores do SUS, criamos a comunidade chamada “Conversando sobre o Aedes”, dentro da Comunidade de Práticas. Sua experiência e vivência é importante para os trabalhadores do país! Acesse:https://goo.gl/94ZC5y
UM MOSQUITO NÃO É MAIS FORTE QUE UM PAÍS INTEIRO. VAMBORA! #ZikaZero

Informe MS - Programa Bolsa Família






Sistema de Gestão do PBF começa 1ª vigência com apelo ao acompanhamento de gestantes

02/02/2016

O Sistema de Gestão do Programa Bolsa Família (PBF) na Saúde já se encontra disponível para inserção do acompanhamento das condicionalidades da 1ª vigência de 2016, que vai até o dia 30 de junho. Ao todo, deverão ser acompanhadas 13.463.755 famílias em todo o país, sendo 7.716.289 crianças e aproximadamente 480 mil gestantes.
A coordenação federal do programa faz um apelo às gestões municipais para intensificar a identificação de gestantes, para garantir a essas mulheres acesso precoce ao pré-natal e ao conjunto de ações relacionadas ao cuidado durante a gestação, que incluem também a prevenção da microcefalia.
Vale ressaltar que as grávidas acometidas pelo zika vírus podem ter bebês com microcefalia o que aumenta a necessidade de intensificar as ações de orientação às famílias sobre as medidas de proteção ao mosquito Aedes Aegypti, em especial durante a gestação.
Crianças e gestantes sem acompanhamento
A coordenação federal do programa chama a atenção dos gestores para os casos de não acesso à vacinação e pré-natal registrados no acompanhamento das crianças e gestantes. Na 2ª vigência de 2015, 4.127 crianças estavam com calendário de vacinação atrasado e 1.682 gestantes sem acesso ao pré-natal. É importante lembrar que o acesso à vacinação e pré-natal são ações básicas de saúde e devem estar disponíveis a todo e qualquer usuário do SUS.
O monitoramento do desempenho dos estados e municípios ao longo da vigência pode ser feito por meio do site: http://bolsafamilia.datasus.gov.br/w3c/bfa_relconsol.asp. Em caso de dúvidas, o profissional deve entrar em contato com a área técnica responsável pelas ações de alimentação e nutrição da Secretaria de Saúde de seu estado.
Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail bfasaude@saude.gov.br.